sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Oshougatsu: O Ano-novo japonês

Nada de roupa branca, abrir champanhe ou pular sete ondas. O oshougatsu, Ano-Novo japonês, é diferente do réveillon ocidental.
O Ano-Novo japonês, oshougatsu, é a comemoração mais importante do calendário do arquipélago. Além da passagem do ano velho e chegada do no­vo, a festa continua por mais três dias ou até uma semana. O comércio, os bancos e as empresas fecham suas portas em um feriado nacional. Mas engana-se quem imagina que os nipônicos celebram esse réveillon vestidos de branco, bebendo champanhe ou pulando sete ondas em uma praia para depois cair na folia em um Carnaval fora de época, como ocorre no Brasil.
Muitos japoneses até se dirigem às praias mais famosas do arquipélago, como a ilha de Odaiba, em Tokyo, pa­ra ver shows de artistas de J-pop ou dan­ças tradicionais, em uma festa que normalmente termina com uma mo­desta queima de fogos. Con­si­derado sagrado pelos japoneses, o oshou­gatsu é, acima de tudo, uma data reservada para que a pessoa possa se purificar, fazer orações e dar boas-vindas ao ano que se inicia.
Uma curiosidade: em vez de saudar o fu­turo, como os ocidentais fazem ao dizer “Feliz Ano-Novo”, os japoneses agradecem pelos favores obtidos no ano que está terminando, di­zendo: “Akemashite omedetou gozaimasu!”

Fonte: http://madeinjapan.uol.com.br

Ano do Coelho

Segundo o horóscopo Chinês, 2011 é o ano do Coelho.
Durante todo este período, a influência do Coelho terá um efeito sobre todos os demais signos. No geral, este será um ano para descansar após os muitos conflitos que aconteceram no ano anterior, devido à influência do Tigre (2010).


O ano do Coelho é uma época para aproveitar o clima calmo. É um tempo propício para ganhar dinheiro sem muito esforço e ser feliz sem muitas preocupações. Também é um bom período para a diplomacia.
Contudo, o ano do Coelho do horóscopo Chinês também marca um período de ordem e regras. Nesta época, as pessoas estarão mais dispostas a cumprir os regulamentos e a colaborar para manter a ordem. Além disso, é bom estar sempre atento para as oportunidades que o ano do Coelho pode trazer.


Fonte: http://www.bem-estar.org

2011 Brindes!!!!


Que a força da energia positiva da passagem de ano faça o Reveillon de todos os meus amigos um momento de paz e reflexão para que 2011 seja nota 11!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Parabéns à Viviane!

Minha amiga e Cake Designer Viviane Costa está fazendo um belo trabalho com seus bolos, tortas e afins.
Essa semana seu blog recente, com dicas e receitas, chegou a marca dos 1.000 acessos.

Parabéns Viviane!

Aos que se interessarem segue o link, mas está também nos blogs amigos.

Longevidade globalizada

Seria uma boa inspiração para as narrativas de Veríssimo, com seu "Sexo na Cabeça", mas é fato real, segue o "novo" requerente ao livro dos recordes.
O agricultor indiano Ramjit Raghav, de 94 anos, foi pai de primeira viagem e diz que quer ter mais filhos, com sua jovem esposa de 52 anos.














Semana passada meu chefe me contou uma história engraçada em Minas Gerais, quando um amigo presenteou outro com um livro entitulado "Sexo após os 60". O livro tinha uma capa bem bonita, mas as folhas todas em branco!
Bom, nesse caso da Índia...o livro teria que ser reeditado!!!!

Fonte: Portal G1.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Uma prova de desamor

"Uma prova de desamor"
Por Henrique Cazes

Um dia, em fevereiro de 1986, o telefone tocou e eu ouvi a voz de meu amigo japonês, produtor de discos de samba Katsunori Tanaka. Ele me ligava de um orelhão em frente a quadra da Mangueira, durante o velório de Nelson Cavaquinho.


Sua queixa era emocionada:

— Ele fez aquele samba que diz “em Mangueira quando morre um poeta todos choram”, mas não tem ninguém chorando aqui, não. Eu é que estou ao lado do caixão dando informações.
Esse episódio serve para ilustrar o desconhecimento do carioca por sua cultura, mesmo que ela esteja muito próxima de seu cotidiano. A mistura da perda de identidade causada pela ida da Capital para Brasília, seguida da fusão com o cacoete cosmopolita desenvolvido no passado, fez do carioca atual um cidadão que não prestigia os valores culturais de sua cidade. Por isso mesmo não podemos perder oportunidades para firmar o que há de mais valoroso em nosso passado. A passagem em brancas nuvens do centenário de Noel Rosa no sábado, 11, foi algo que me deixou absolutamente chocado.
Afinal, trata-se do maior compositor brasileiro de música popular em todos os tempos. Isso é pouco? Tendo vivido 26 anos e alguns meses, Noel Rosa foi um fenômeno. Ótimo melodista, poeta maiúsculo, cronista da vida carioca e inovador na maneira de se fazer samba, gênero ainda novo naqueles anos da década de 1930. Fora tudo isso, foi o primeiro artista branco de classe média que subiu o morro para interagir com os sambistas das comunidades, juntando pedaços da cidade como hoje algumas ONGs se arvoram a fazer. Deixou uma obra extensa que resiste ao tempo e chegou aos dias de hoje atual e por vezes profética. Imaginem, em 1931 ele já falava de álcool motor. Retratou as mazelas do país com tamanha profundidade que seu samba “Onde está a honestidade” segue atual no século XXI, especialmente em anos eleitorais.
Pois nada disso mexeu com os dirigentes culturais da cidade, a fim de que marcássemos a data da forma como Noel merecia. Mais do que homenagear um ícone cultural, levar Noel para o público, principalmente os mais jovens, é ensinar a gostar do Rio, a compreender a alma da cidade. Antes que algum ex-dirigente de nossa Secretaria municipal de Cultura argumente que nada foi feito por falta de recursos, é bom lembrar os R$ 1,3 milhão pago de cachê a um cantor sertanejo por nossa prefeitura. Com metade do dinheiro dava para fazer um Ano Noel Rosa cheio de atrações e com um aspecto educativo que levasse o artista ao encontro das crianças e jovens da rede pública de ensino. Acredito que, para se apaixonar por sua cidade, um carioca precisa ler Machado de Assis, Nelson Rodrigues e Sergio Porto, assim como ouvir Cartola, Noel e Nelson Cavaquinho. Num momento em que se exalta a retomada da auto-estima carioca, deixar o centenário de Noel Rosa passar como passou foi uma prova de desamor que nós os apaixonados não podemos admitir.


Henrique Cazes é músico.


Fonte: Celso Merola, por e-mail.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

A comemoração pelo nascimento do menino Jesus há muito tem ganho novos elementos comemorativos e razões diversas para uma prática consumista e pouco religiosa.
Embora presentear a quem gostamos tenha seu valor, não podemos nos afastar dos verdadeiros preceitos que regem essa data especial. O menino que quando adulto sacrificou à sua vida para que fossem perdoados nossos pecados, nos deixou muitos ensinamentos e valores que sobrepõe à própria questão religiosa em si.

De qualquer maneira, podemos exercitar a união familiar e abraçar quem realmente nos importa e estão próximos e/ou presente, ou mesmo orar pelos que se foram ou fazer aquela corrente positiva para os que estão longe fisicamente.

Parafraseando um pouco Drummond, queria desejar, neste Natal, sensações e sentimentos a todos os meus amigos e parentes. Sentimentos, estes, que nos remetessem a coisas simples e de valor incalculável, como um sorriso sem dentes de meu pequeno Gabriel, como o cheiro de grama molhada, como o som de pássaros em manhãs de sol, como um bom mergulho no verão, como um bom copo de água gelada no calor escaldante, como um bom chopp com amigos, como um abraço de alguém especial que há muito não vemos, como um beijo roubado, como uma rede na sombra e de frente pro mar, como uma palavra certa em horas difíceis, como o sal de uma lágrima de alegria, como com a leitura descompromissada de um bom livro, como um bom samba num domingo sem chuvas, como um dia sem mau humor  e como tantas outras coisas que nos remetem a afeto e alegria apenas.

Neste Natal, receba meu abraço e meu carinho.
FELIZ NATAL e que 2011 venha para realizar todas as promessas de sermos pessoas melhores do que somos hoje!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O Sorriso e a Lua

Hoje, percebendo a grandeza da lua cheia, me deparei com alguns pensamentos...ora vagos...ora precisos.
Há muito não me permitia contemplar a luz de um luar. Como é linda a lua cheia, principalmente próximo a uma data como o Natal.
Nessa época, uma simples lua pode abastecer sonhos, trazer esperanças cheias e fazer tristezas minguantes.
Lua que move marés e dita ritmos no nosso planeta, mas que apenas reflete a beleza interior que trazemos ao seu encontro.
Como um lobo uivante, adorando o luar, imagino como seria o inverso. O que pensaria a lua se nos olhasse de cima?
Talvez, olharia de frente o mais belo sorriso, que se esconde atrás de escusas imperfeitas, e diria: como é lindo um sorriso cheio!
Para ter a grandeza da lua precisamos de tão pouco.
Por isso, concordo com Saramago, em seu Ensaio sobre a Cegueira, quando disse:
"Penso que estamos cegos, cegos que vêem, cegos que, vendo, não vêem."
Boa noite. Bom luar! 

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A velhinha te conhece?

Num julgamento em Vassouras (RJ), o Promotor de Justiça chama sua primeira testemunha, uma velhinha de idade bem avançada.

Para começar a construir uma linha de argumentação, o Promotor pergunta à velhinha:

- Dona Genoveva, a senhora me conhece, sabe quem sou eu e o que faço?

- Claro que eu o conheço, Marcos! Eu o conheci bebê. Só chorava, e francamente, você me decepcionou. Você mente, você trai sua mulher, você manipula as pessoas, você espalha boatos e adora fofocas. Você acha que é influente e respeitado na Cidade, quando na realidade você é apenas um coitado. Nem sabe que a filha esta grávida, e pelo que sei, nem ela sabe quem é o pai. Ah, se eu o conheço! Claro que conheço!

O Promotor fica petrificado, incapaz de acreditar no que estava ouvindo. Ele fica mudo, olhando para o Juiz e para os jurados. Sem saber o que fazer, ele aponta para o advogado de defesa e pergunta à velhinha:

- E o advogado de defesa, a senhora o conhece?

A velhinha responde imediatamente:
- O Robertinho? É Claro que eu o conheço! Desde criancinha. Eu cuidava dele para a Marina, a mãe dele, pois sempre que o pai dele saia, a mãe ia pra algum outro compromisso. E ele também me decepcionou. É preguiçoso, puritano, alcoólatra e sempre quer dar lição de moral nos outros sem ter nenhuma para ele. Ele não tem nenhum amigo e ainda conseguiu perder quase todos os processos em que atuou. Além de ser traído pela mulher com o mecânico... com o mecânico!!!

Neste momento, o Juiz pede que a senhora fique em silêncio, chama o promotor e o advogado perto dele, se debruça na bancada e fala baixinho aos dois:
'Se algum de vocês perguntar a esta velha filha da puta se ela me conhece, vai sair desta sala preso...
Fui claro???'

Fonte: Acácio Sânzio de Brito, por e-mail.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Dois dedos de prosa, uai!

Os dois mineiros se encontram no ponto de ônibus em Cocalinho para uma pescaria.
- Então cumpade, tá animado? pergunta o primeiro.
- Eu tô, home!
- Ô cumpade, pro mode quê tá levano esses dois embornal?
- É que tô levano uma pingazinha, cumpade.
- Pinga, cumpade? Nóis num tinha acertado que num ia bebê mais?!
- Cumpade, é que pode aparece uma cobra e pica a gente. Aí nóis desinfeta com a pinga e toma uns gole que é pra mode num sinti a dô.
- É... é verdade sô. Mas e na outra sacola, o que qui tá levano?
- É a cobra, cumpade. Pode num tê lá...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Notícias do futebol

Desejos


Desejo a você
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não Ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Uma vez Flamengo...

Há exatos 29 anos o Clube de Regatas do Flamengo se sagrava o campeão do Mundial Interclubes, no Japão.
Foi a consagração de um time de estrelas que fez a maior torcida de futebol do mundo!
Parabéns a Zico & Cia.!!!
Uma vez FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!!!!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Brasileirão 2010 - opiniões...

Paulo Cézar Caju, que desfilou seu talento nos gramados em vários grandes clubes, inclusive na Máquina Tricolor bicampeã carioca de 1975-76, disparou a metralhadora giratória:
 
"Achei o campeonato horroroso, com futebol medíocre. Virou esporte de quem tem mais de dois metros de altura. Estamos numa fase de brucutus, jogadores guerreiros. A maioria das partidas teve mais de 100 passes errados. Vê se eles sabem dar um chapéu, uma caneta...Os dois maiores jogadores do Brasil nunca vingaram na Argentina, o Conca e o Montillo... Pô, eu vi Gérson, Rivelino, Didi e tantos outros meias fora de série, criativos. O único cara cerebral aqui é o Paulo Henrique Ganso".


Fonte: Portal G1.

Agregação de Valor

sábado, 11 de dezembro de 2010

100 vezes Noel

Hoje, se estivesse vivo, Noel Rosa completaria 100 anos de idade. Porém a vida lhe foi mais breve. No dia 04 de maio de 1937, aos 26 anos, saía de cena o poeta da Vila Isabel.
Em uma de suas composições (Fita Amarela) Noel dizia que quando morresse ele não queria choro nem velas, mas sim uma fita amarela gravada com o nome dela. Se referindo ao seu grande amor, Lindaura, moça de vida difícil, mas dona da "linda aura" que encantou o poeta.
Àquele tempo a tuberculose era mais grave, e a associação perigosa com a bebida e as doses excessivas de cigarros venceram a maestria do samba e a malandragem poética do jovem compositor. Ídolo não só pela poesia e pelas mais de 250 músicas criadas, mas pela atitude velada de trazer o samba pro asfalto e por quebrar paradigmas e preconceitos da época.
Através de Noel, Vila Isabel passou a subir o morro e olhar de forma mais consciente a arte, a cultura e os saberes de um povo sofrido, porém feliz, que por lá vivia. De forma muito natural e sensata eliminava esses preconceitos e vivia intensamente toda a sua arte.
Suas parcerias com Cartola, Ismael Silva, entre outros, contribuiu sobremaneira para a consolidação de grandes sambas e marchas.

Salve Noel Rosa!!!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

EU LEVO OU DÊXO???...

Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal.
Foi averiguar e constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação.
Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus patos, disse-lhe:
- Oh, bucéfalo anácrono!!!...Não o interpelo pelo valorintrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro deprofanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se épara zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica, bem no alto da tua sinagoga, e ofarei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que ovulgo denomina nada.
E o ladrão, confuso, diz:
- Dotô, rezumino...eu levo ou dêxo os pato???...

Fonte: Viviane Mendonça, por e-mail.

Dia Nacional do Samba

Para quem me conhece, sabe que hoje é um dia especial pra mim.
No dia 02/12 se comemora o Dia Nacional do Samba, que surgiu em homenagem ao mestre Ary Barroso.
O Dia Nacional do Samba foi instituído por lei, na Bahia.
É, meus nobres. Na Bahia.
A história conta que Ary Barroso compôs a música "Na baixa do sapateiro" (...Ô Bahia Bahia que não me sai do pensamento...), que exaltava a Bahia, porém Ary nunca havia conhecido nenhum município baiano. Assim, na primeira vez que esteve em Salvador, em um dia 02 de dezembro, um vereador baiano resolveu prestar a homenagem e instituir o Dia Nacional do Samba.
Atualmente o dia é comemorado apenas na Bahia, no Rio de Janeiro e agora em Natal (RN). Tá certo que em Natal só eu comemoro, mas tenho certeza que lá tem muitos outros adeptos!!
Tá certo, também, que não estou hoje em Natal e sim no RJ, mas meu coração e meu sorriso perfeito estão por lá. Sou potiguar por opção.
Salve Natal!
Salve o DIA NACIONAL DO SAMBA!!!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Pacificando o Complexo do Alemão


Parabéns à Tropa de Elite!
A estratégia de desarticulação do Crime Desorganizado do RJ está sendo extremamente bem sucedida.

É um primeiro, mas importante, passo rumo à paz na cidade maravilhosa.
Chegou a vez do Morro do Juramento.

domingo, 28 de novembro de 2010

Sofrimento chegando ao fim

É pessoal, hoje é dia de mais sofrimento, mas que pode ser recompensado.
Como disse o blogueiro Arthur Muhlenberg, às 17h de brasília deste domingo a Nação Flamenguista inteira vai estar rezando, com seus tapetes voltados pro Raulinão, como se fosse uma Meca vermelha e preta.
Se o Mengão ganhar hoje do Cruzado Novo mineiro podemos tirar férias desse Brasileirão 2010 e pensar em 2011.
Força Mengão!


quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Doe PALAVRAS

O Hospital Mário Penna, de Belo Horizonte, que cuida de doentes com câncer, lançou um projeto pra lá de sensacional. É o Doe Palavras.
Fácil, rápido e todo mundo pode doar um pouquinho, sem dor.
Basta acessar o site
http://www.doepalavras.com.br e escrever uma mensagem.
Sua frase aparece no telão para os pacientes que estão em tratamento.

É uma estratégia motivacional para ajudar pacientes que, muitas vezes, buscam um apoio, e uma palavra certa nessas horas aumenta sua auto-estima.

Fonte: Lamanda Fernandes, por e-mail.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

À minha Fernanda

A vida sempre me brinda com momentos inesquecíveis e emoções que fazem valer a pena cada instante.
Hoje, aos 38 anos, posso dizer que tenho muitos passos dados e muitos outros por dar. A caminhada está mais ou menos no meio.
Há exatos 15 anos nasceu, em Botafogo, no Rio de Janeiro, um desses momentos. Um presente que tenho o orgulho de chamar de Fernanda Baeta, minha filha mais velha.
Fernanda herdou muitas coisas minhas, algumas não tão boas...mas nossas.
Lembro desse dia como se fosse ontem. O sopro de vida de uma bebê aspirando por ar puro e pulsando energia para dizer a todos: cheguei!
Lembro quando me chamou de PAPAI pela primeira vez, assim como lembro quando a ensinei a andar de bicicleta e por aí foi.
Minha pequena notável é amante da boa leitura e das letras firmes e cheias de gírias comuns à sua idade.
Personalidade forte, gênio complicado, inteligência aguçada, timidez aparente, insegurança latente, medos normais, sonhos diversos, curiosidade saudável, adolescência típica e dificuldade de expressar em palavras o que melhor sabe na ponta do teclado de um computador.
Meu orgulho, minha preocupação e meu amor.
Filha,
Certa vez, refletindo em meio a livros budistas, pensei: o que poderia ser maior que o amor de um pai por uma filha? E cheguei a seguinte conclusão:
Maior que esse amor fraternal é a retribuição de seu sorriso quando um ato despretensioso deste pai bobo se faz presente.
Tenha um Feliz Aniversário!
Te amo muito.
Pai

José e Pilar

Ontem vi um filme maravilhoso chamado "José e Pilar", que conta os últimos anos de vida de José Saramago ao lado de sua esposa Pilar Del Río. Belíssimo e inspirador.
Saramago soube aproveitar cada momento sem perder sua essência.
Em seu livro, A Viagem do Elefante, ele nos ensina que a vida nada mais é do que estar.
Por isso, devemos estar BEM, estar ATIVOS e aproveitar a simplicidade que a vida É.

Viver ou Juntar dinheiro?

Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente. Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico.
Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante.
Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis. Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro.
Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?
Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade.

Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO".

Que tal um cafezinho?

Fonte: Isabela Cavalcanti, por e-mail.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Família é prato difícil de preparar

Família é prato difícil de preparar. São muitos ingredientes. Reunir todos é um problema, principalmente no Natal e no Ano Novo. Pouco importa a qualidade da panela, fazer uma família exige coragem, devoção e paciência. Não é para qualquer um. Os truques, os segredos, o imprevisível. Às vezes, dá até vontade de desistir. Preferimos o desconforto do estômago vazio. Vêm a preguiça, a conhecida falta de imaginação sobre o que se vai comer e aquele fastio. Mas a vida, (azeitona verde no palito) sempre arruma um jeito de nos entusiasmar e abrir o apetite. O tempo põe a mesa, determina o número de cadeiras e os lugares. Súbito, feito milagre, a família está servida. Fulana sai a mais inteligente de todas. Beltrano veio no ponto, é o mais brincalhão e comunicativo, unanimidade. Sicrano, quem diria? Solou, endureceu, murchou antes do tempo. Este é o mais gordo, generoso, farto, abundante. Aquele o que surpreendeu e foi morar longe. Ela, a mais apaixonada. A outra, a mais consistente.

E você? É, você mesmo, que me lê os pensamentos e veio aqui me fazer companhia. Como saiu no álbum de retratos? O mais prático e objetivo? A mais sentimental? A mais prestativa? O que nunca quis nada com o trabalho? Seja quem for, não fique aí reclamando do gênero e do grau comparativo. Reúna essas tantas afinidades e antipatias que fazem parte da sua vida. Não há pressa. Eu espero. Já estão aí? Todas? Ótimo. Agora, ponha o avental, pegue a tábua, a faca mais afiada e tome alguns cuidados. Logo, logo, você também estará cheirando a alho e cebola. Não se envergonhe de chorar. Família é prato que emociona. E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza.

Primeiro cuidado: temperos exóticos alteram o sabor do parentesco. Mas, se misturadas com delicadeza, estas especiarias, que quase sempre vêm da África e do Oriente e nos parecem estranhas ao paladar tornam a família muito mais colorida, interessante e saborosa.Atenção também com os pesos e as medidas. Uma pitada a mais disso ou daquilo e, pronto, é um verdadeiro desastre. Família é prato extremamente sensível. Tudo tem de ser muito bem pesado, muito bem medido. Outra coisa: é preciso ter boa mão, ser profissional. Principalmente na hora que se decide meter a colher. Saber meter a colher é verdadeira arte. Uma grande amiga minha desandou a receita de toda a família, só porque meteu a colher na hora errada.

O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita. Bobagem. Tudo ilusão. Não existe Família à Oswaldo Aranha; Família à Rossini; Família à Belle Meunière; Família ao Molho Pardo, em que o sangue é fundamental para o preparo da iguaria. Família é afinidade, é “à Moda da Casa”. E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.

Há famílias doces. Outras, meio amargas. Outras apimentadíssimas. Há também as que não têm gosto de nada, seriam assim um tipo de Família Dieta, que você suporta só para manter a linha. Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo. Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir.

Enfim, receita de família não se copia, se inventa. A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia. A gente cata um registro ali, de alguém que sabe e conta, e outro aqui, que ficou no pedaço de papel. Muita coisa se perde na lembrança. Principalmente na cabeça de um velho já meio caduco como eu. O que este veterano cozinheiro pode dizer é que, por mais sem graça, por pior que seja o paladar, família é prato que você tem que experimentar e comer. Se puder saborear, saboreie. Não ligue para etiquetas. Passe o pão naquele molhinho que ficou na porcelana, na louça, no alumínio ou no barro. Aproveite ao máximo. Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete.
Fonte: Texto extraído do livro "O Arroz de Palma", de Francisco Azevedo", e enviado por e-mail pela Claudinha Dutra.

domingo, 21 de novembro de 2010

Toque de recolher

Parece absurdo, mas é a situação atual do meu querido Rio de Janeiro.

Ontem fui ver o Batuque da Praça, samba já tradicional da Praça São Salvador. Ambiente familiar, roda de samba de extrema qualidade e a oportuindade de rever grandes amigos.
Às 22h em ponto, duas patrulhas da Guarda Municipal chegaram e enceraram o samba.
Fomos todos para os bares em frente à praça, mas sem música.
No meio das descontrações das risadas e Originais da Antártica, às 24h, chegaram novamente as patrulhas, agora em 04 veículos oficiais. O policial faz um gesto para os donos dos bares mostrando o relógio. Fui perguntar ao garçon, que me disse que se não fechassem os bares imediatamente ganhariam uma pesada multa da Prefeitura.
É, meus amigos, essa é a nova administração carioca.

Pará-pará-pará pa-pará-pa-pará clac-ti-bum...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Alguns dias no RJ

Alguma coisa acontece no meu coração, mas só quando cruzo o Corcovado e o Aterro do Flamengo!
Estou indo ao RJ esse final de semana, por conta do aniversário de 15 anos da minha pequena grande Fernanda.
Sinto falta de muitas coisas que lá eu tinha, mas principalmente da minha família, de meus amigos e dos botecos e sambas da cidade maravilhosa.
Mas confesso que estou bem na cidade do sol, Natal, minha segunda cidade.
Já faz um tempinho que não apareço no RJ e sempre é motivo de alegria rever meu povo.
Aí vem o outro lado da moeda....vou sentir saudades do meu pitoco de gente, meu anjo Gabriel!

Até já Rio! Tô chegando.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O bom samba à Casa Rosa!


Parafraseando Caymmi... O samba da minha terra deixa a gente mole, quando se canta todo mundo bole...

Quem não gosta de samba
Bom sujeito não é
É ruim da cabeça
Ou é doente do pé
Eu nasci com o samba
No samba me criei
E do danado do samba
Eu nunca me separei...

...e por aí vai!

Grande mestre que imortalizou a querida Bahia em seus versos e prosas. Além de enriquecer o repertório da música popular brasileira com sambas majestrais.

Salve Caymmi!

domingo, 7 de novembro de 2010

Que vida boa...

Coisas boas geralmente acontecem quando aspiramos por elas.
A vida sempre é corrida, atribulada, com baixos e altos, mas deve ser, também, leve, branda, suave e intensa. Por mais contraditório que pareça.
Gonzaguinha dizia que a vida é uma gota, é um tempo que não dá um segundo. Fico com ele.
Nossos pequenos todavia intensos momentos de felicidade devem ser perpetuados em memória e em consideração à vida que construímos e conduzimos.
Como na propaganda da antiga CREDICARD....meus filhos comigo em Natal....não tem preço!!!!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Feriadão

Beleza...hoje é feriadão!!!
Solzão, praião, cinemão, cervejão, churrascão, futebolzão....mas eu não posso fazer nada disso NÃO!!!

Eita Lei de Murphy que tinha que acontecer logo nesses dias...

Eu estou é com um Gripão, Deitadão, de Chinelão, Castigão...vacilão.

Aproveitem por mim!!!!


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Importância da nossa língua portuguesa...

Esses avisos paroquiais...

São avisos fixados nas portas de igrejas, todos eles reais, escritos com muito boa vontade e má redação.

AVISO AOS PAROQUIANOS
Para todos os que tenham filhos e não sabem, temos na paróquia uma área especial para crianças.


AVISO AOS PAROQUIANOS
Quinta-feira que vem, às cinco da tarde, haverá uma reunião do grupo de mães. Todas as senhoras que desejem formar parte das mães, devem dirigir-se ao escritório do pároco.


AVISO AOS PAROQUIANOS
Interessados em participar do grupo de planejamento familiar, entrem pela porta de trás.


AVISO AOS PAROQUIANOS
Na sexta-feira às sete, os meninos do Oratório farão uma representação da obra Hamlet, de Shakespeare, no salão da igreja. Toda a comunidade está convidada para tomar parte nesta tragédia.


AVISO AOS PAROQUIANOS
Prezadas senhoras, não esqueçam a próxima venda para beneficência. É uma boa ocasião para se livrar das coisas inúteis que há na sua casa. Tragam os seus maridos!


AVISO AOS PAROQUIANOS
Assunto da catequese de hoje: Jesus caminha sobre as águas.
Assunto da catequese de amanhã: Em busca de Jesus.


AVISO AOS PAROQUIANOS
O coro dos maiores de sessenta anos vai ser suspenso durante o verão, com o agradecimento de toda a paróquia.


AVISO AOS PAROQUIANOS
O mês de novembro finalizará com uma missa cantada por todos os defuntos da paróquia
..

AVISO AOS PAROQUIANOS
O torneio de basquete das paróquias vai continuar com o jogo da próxima quarta-feira. Venham nos aplaudir, vamos tentar derrotar o Cristo Rei!


AVISO AOS PAROQUIANOS
O preço do curso sobre Oração e Jejum não inclui a comida.


AVISO AOS PAROQUIANOS
Por favor, coloquem suas esmolas no envelope, junto com os defuntos que desejem que sejam lembrados
.

Fonte: Maciel Júnior, por e-mail.

Domingo que vem tem GP BRASIL de F-1

Como não podemos torcer mais para o Felipe II da Ferrari e nem pelo Rubinho...vamos nos divertindo e vou torcer por uma vitória do australiano Mark Webber!

Fonte: Bola nas Costas (Globo.com)

domingo, 31 de outubro de 2010

A obrigatoriedade do voto no exterior depõe contra o processo democrático

É um absurdo essa obrigação de brasileiros residentes no exterior serem obrigados a votar para ter o direito de renovar seus passaportes.

Qual a democracia que queremos?

Vejam os exemplos no Japão:

Mãe de primeira viagem, a jovem Lilian Shinobu Fukuhara, 28 anos, enfrentou uma viagem de duas horas de trem-bala e o medo de passar mal para participar do segundo turno das eleições presidenciais no Japão. Grávida de nove meses, com previsão de nascimento para daqui a alguns dias.

Para Lilian, o voto não deveria ser obrigatório. “Confesso que vim mais por causa da exigência do comprovante de votação para atualizar os documentos e tirar um novo passaporte”, confessou.

Tatiane Saito, de 20 anos, deixou São Paulo e se mudou para o Japão com a família quando tinha um ano. Estudou sempre em escolas japonesas e não fala o idioma português. Em casa, com os pais, só se comunica em japonês. Do Brasil, ela só se lembra de um passeio que fez quando era criança.

Mesmo sem acompanhar a política brasileira – ou qualquer outro assunto do país natal –, Tatiane foi obrigada a participar do segundo turno das eleições. Acompanhada do irmão e dos pais, Mauro e Júlia, ela conta que foi muito difícil. “Foi complicado porque não leio português e não conheço os candidatos”, disse.


Fonte: Portal G1.

Para descontrair no dia da eleição

Pai, eu preciso fazer um trabalho para a escola!

Posso te fazer uma pergunta?

Claro, meu filho, qual é a pergunta?

O que é política, pai?

- Bem, política envolve: Povo; Governo; Poder econômico; Classe trabalhadora; Futuro do país.

Não entendi. Dá para explicar?

-Bem, vou usar a nossa casa como exemplo:

Sou eu quem traz dinheiro para casa, então eu sou o poder econômico.

Sua mãe administra, gasta o dinheiro, então ela é o governo.

Como nós cuidamos das suas necessidades, você é o povo.

Seu irmãozinho é o futuro do país e a Zefinha, babá dele, é a classe trabalhadora. Entendeu, filho?

- Mais ou menos, pai. Vou pensar.

Naquela noite, acordado pe lo choro do irmãozinho, o menino, foi ver o que havia de errado. Descobriu que o irmãozinho tinha sujado a fralda e estava todo emporcalhado.

Foi ao quarto dos pais e viu que sua mãe estava num sono muito profundo.

Foi ao quarto da babá e viu, através da fechadura, o pai na cama com ela. Como os dois nem percebiam as batidas que o menino dava na porta, ele voltou para o quarto e dormiu.

Na manhã seguinte, na hora do café, ele falou para o pai:

Pai, agora acho que entendi o que é política.

- Ótimo filho! Então me explica com suas palavras.

- Bom, pai, acho que é assim:

Enquanto o poder econômico fode a classe trabalhadora, o governo dorme profundamente.
O povo é totalmente ignorado e o futuro do país fica na merda!!!


Fonte: Nildinha Freitas de João Câmara (RN), por e-mail.

domingo, 24 de outubro de 2010

Nostálgico, mas feliz!



Hoje bateu uma certa nostalgia.
No dia 08/11 Gabriel completará 1 ano de vida e no dia 23/11 Fernanda fará 15 anos.

É, estou ficando velho.
Meus filhos são meus tesouros e a certeza da continuidade de gerações que primam pela ética, pela amizade e pelo valor de um sorriso.

Meu lema de vida sempre foi a velha máxima de Charles Chaplin: "Um dia sem riso é um dia perdido".

Vivi muitas histórias e, com certeza, viverei muitas outras mais.

Fico muito orgulhoso quando vejo meu Gabriel dando seus primeiros passos, dizendo suas primeiras palavras, curtindo música boa, meu sambista mirim, assim como fico todo bobo em ver minha não mais pequena Fernanda fazendo prova para o ensino médio (fez para o CEFET-RJ e para o CAP-UFRJ), minha prodígio, descobrindo sua adolescência e puberdade, cheia de personalidade e implicante como o pai!!!!

O tempo passa. O tempo voa. E a poupança Bamerindus já era.

Daqui há dois anos eu entro com o pé na porta dos 40. Pois que venham os ENTAs todos.

Brindemos a eles, brindemos aos meus filhos, brindemos a esses amigos todos que temos e que nos fazem completos! Um muito obrigado Baeta a cada um de vocês.

Saúde!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Enjoy Flamengo Eternally


Em homenagem ao MAIS QUERIDO DO BRASIL segue o vídeo-show enviado pelo meu nobre amigo Frank do Sebrae de Santa Cruz - RN. Boa sorte domingo ao Mengão e à maior torcida do Brasil e Vasco-e-Versa!!!!!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Dia do Professor


Hoje, dia 15 de outubro, é o Dia do Professor.

Justa e pequena homenagem a uma das profissões mais importantes e desafiadoras do nosso país.

Esta data deveria servir de reflexão ao reconhecimento e grandeza dessa categoria e aos rumos que nossa democracia que se consolida e se fortalece cada vez que damos o devido valor a eles.

Meu pequeno registro e grande agradecimento aos meus amigos professores, aos meus professores amigos e a todos os outros professores que trazem a nobreza do ideal de construção de uma sociedade justa e acessível a todos os brasileiros.



FELIZ DIA DO PROFESSOR!